Um blog sobre Estados Unidos, Brasil e pensamentos aleatórios. Have fun!

Who read my blog until now?

United States, Brazil, Portugal, United Kingdom, Germany, France, Japan, Ireland, Canada, Netherlands, Turkey and Uruguay.
Aperte Ctrl + para aumentar o texto e Ctrl - para diminuí-lo.

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Mais documentos

Ontem chegaram mais documentos dos Estados Unidos. Dessa vez explicativos sobre o Programa Au Pair, questionários sobre a agência e o Programa, um guia para quando estiver lá e alguns outros docs que não me recordo agora, nada muito importante assim.
Agora tenho que preencher tudo direitinho e dia 07 ir até à agência pra conversar com a Cláudia sobre a entrevista no Consulado.

Ando preocupada com a aprovação do visto, e quero logo que chegue dia 14.
Essa ansiedade que mata. Tudo depende desse bendito dia 14 então já viu né? Claro que penso positivo e quero mais do que nunca a resposta positiva do Consulado, mas mesmo assim bate um desespero. Depois desse dia é que vou saber se devo continuar investindo nas compras para New Jersey, que devo ou não saber se continuo realmente no Brasil e se dia 09 de Agosto estarei viajando até New York. Fase turbulenta, mas assim que sair o resultado, minha felicidade será tamanha. Acredito em Deus, é um sonho que sempre quis realizar, e já fiz tudo o que tinha que fazer em questão de documentação pra poder entrar no país alheio.

Amanhã é feriado do dia do trabalho e já começa o mês de maio, mês do meu aniversário e mês do visto americano. Viajo hoje pra praia e volto no domingo. Três dias de descanso em família, curtindo demais demais demais minha família é tudo que preciso agora. Sei que parece cedo, mas sinto que eles precisam de mim mais do que nunca e que a saudade que vou sentir é absurda. Família é e sempre foi meu alicerce e indo pra outro país, viver a minha vida, ter a minha experiência sem eles por perto, sabendo que não poderei correr pra minha irmã e ajudar em algo ou pedir ajuda, ou pra minha mãe, Nê, etc, bate um pânico. Família é tudo na minha vida, ainda mais a minha que é MEGA especial e vai ser difícil sim, não vou cansar de repetir isso aqui.
Ultimamente não me dedico com tanto empenho, por querer me dedicar aos amigos, mas sinto que preciso mudar isso. Amigos e família devem andar mutuamente, e não posso me esquecer disso. Nunca.

Acho que esses próximos 14 dias serão contados como nunca, e ainda vai dar muito calafrio até a resposta do Consulado. Sorte e merecimento. As palavras mais adequadas pro momento.

Beijos.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Medo de Avião (ou Pânico de Avião se preferir)

Pra começar nunca andei de avião. Sempre disse que tinha medo e que se tivesse que viajar num treco desse seria pra ir pros Estados Unidos. E não é que existe brincadeira que vira verdade? Nunca nem sequer fui pra Bahia de avião que entendo por algo comum, mas tudo bem, os medos existem pra serem quebrados e assim será.
Perguntei pra algumas pessoas qual é a sensação de andar de avião. Alguns disseram que o frio na barriga surge apenas na decolagem e no pouso, enfim, até parece que enquanto o avião está no alto não bate um pânico rs! São mais ou menos 8 horas de vôo até NYC, logo... posso ir ouvindo música? rs. Puta merda. Pior ainda se for outro medroso (ou medrosa) do meu lado. Aí ferrou.
Depois da viagem postarei com certeza sobre essa experiência, daí vamos ver se é verídico todo esse medo ou se é besteira. Rezem pra ser besteira... please!! rs.
Neste fim de semana além de receber mais fotos de New Jersey, super fofas por sinal, curti mais a minha família.
Bem bacana.
Minha irmã Mariangela veio pra cá, recebemos visita de um primo e seu filhinho lindo e demos muita risada.
A Mary foi em casa também pra ver o salão de festas onde vamos comemorar o nosso aniversário. Tudo quase dentro dos conformes.
Vamos nos falando.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Pagamento das taxas e data do Visto

Num dia posto dizendo que os papéis não chegaram, no outro os papéis já estão em casa e já até paguei as taxas.
O envelope chegou dos EUA com vários informativos, os documentos para o visto, e até mesmo as etiquetas de bagagem. Chiquetérrimo!

Saquei o dinheiro, paguei as taxas no Citibank (R$39,00+US$131,00). Não pensem que é gasto, gasto traz energia negativo, isso é INVESTIMENTO. Aposto que a Ícone vai rir quando ler isso... rs!
Falei com a Cláudia sobre a data de agendamento do visto, e seria melhor marcar no fim de maio, mas como a festa de aniversário vai ser no dia 16 de maio, pedi pra marcar antes da festa pra já passar a notícia pra todo mundo. Marquei agora pouco. Dia 14 de maio, às 8h00. Já sei que aquele consulado americano é chatinho, então o esquema é chegar cedo, e não levar nada demais, pois os caras pedem pra guardar tudo, inclusive os celulares. Vou levar só os papéis e seja o que Deus quiser (acho que já disse isso umas dez vezes até agora no blog... rs). É isso aí. Está agendado e tudo correndo bem, pelo amor de Deus tem que correr bem, no dia 16 podemos comemorar com muito churrasco e cerveja. Bem brasileiro mesmo.

Comecei ontem as compras pra viagem. Camisetas, underwear, escova de dente, meias e até pantufas para me divertir com as crianças. É meio idiota, mas é bem minha cara rs! O objetivo maior é cuidar das crianças, logo tenho que arrumar meio de agradá-las. Comprei também livros pra desenhar e colorir.
Até o dia da viagem, de pouco em pouco, vou montando a mala com roupas novas e coisas divertidas.
Detalhe, a mala de viagem não pode passar de 22Kg, ou seja, se ultrapassar tenho que pagar à parte. Sai fora. Já tem muito investimento rolando... rs!

Ainda continuo lendo o livro do House MD, e cada dia há mais Medicina pra minha vida. Eu gosto disso. O cara é louco e o livro tem muito conteúdo interessante. Não é propaganda, mas tô fissurada nesse cara. Pra quem não sabe House tem um problema no joelho direito e faz com que ele manque. Sabendo disso, falei pros amigos que se correr o risco de encontrar o House por lá (o seriado é em New Jersey) eu acabo com o joelho esquerdo dele... rs!

Beijocas melosas e muita sorte pra mim, pra todo mundo. Ai Senhor. =P

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Aguardando os documentos dos EUA

Aguardando os papéis chegarem dos EUA e nada por enquanto.
Enquanto o tempo passa aproveito pra curtir os amigos e a família. A programação já é para o que fazer na comemoração do meu aniversário. Como a Mariana, uma das minhas melhores amigas, faz aniversário no dia 15 e eu no dia 12, resolvemos fazer a festa juntas. Dia 16 de maio, no salão de festas de onde moro, faremos aquela festa.
Reunir os amigos e familiares, fazer bagunça e comemorar é algo que gosto muito. Tem tudo pra ser perfeito.

Nesta semana comprei um sofá-cama pro meu quarto. É claro que tem muita gente se perguntando por que comprar um sofá sendo que vou embora do país daqui há alguns meses? Mesmo que eu vá embora, o sofá será útil em casa, logo não vejo problema algum em me agradar e deixar o sofá no Brasil depois. Vai ficar bonitinho no meu quarto. E outra, se algum amigo resolver dormir em casa, não vou ter problemas em pegar colchão, arruma aqui, ajeita ali. É só desmontar o sofá e já era. Fora que meu quarto virou sala de cinema (graças à super TV que comprei também) então fica mais confortável pra fazer uma sessão pipoca também. Tem suas vantagens vai.

Viciada em Dr. House MD, o seriado do médico mais polêmico que já vi, estou baixando a terceira temporada. Baixei o livro ontem também, e agora vou ler pra ver se o cara fala a verdade médica ou não. Só sei que ele é polêmico e curioso. Adoro demais.
Um paciente entra com dor na perna e o House descobre um tumor no cérebro. Me diz se isso não é coisa de louco? rs.

Agora já está mais aceitável o fato de ficar fora do Brasil longe de todos que amo. Antes ficava toda chorosa, preocupada, mas agora só me preocupo em viajar logo e conquistar novas amizades, conseguir um emprego por lá, essas coisas. Tenho pensamento positivo e como diz minha irmã “Eita menina sortuda!”.
Parei pra ver as fotos da Iraci de novo, e cá entre nós existem muitos lugares que nem preciso comentar. Lindos demais. A casa de praia é uma mansão na praia. Várias varandas, quartos, divisórias, etc etc etc. Sem mais detalhes. Coisa de filme mesmo.

Eu vou sentir saudade sim, na verdade já sinto, mas é um objetivo que tenho há muito tempo e agora mais do que nunca vou realizar. Se você tem um sonho não desista, um dia você cai da cama e ele se torna realidade te deixando um calombo no meio da testa. Parece maluquice, mas depois de 2004 tendo o visto negado, só agora voltei à tona com a idéia e está tudo dando certo. Torçam e mantenham contato ok?!

“Em alguma outra vida, devemos ter feito algo de muito grave,
Para sentirmos tanta saudade...
Trancar o dedo numa porta dói.
Bater com o queixo no chão dói.
Torcer o tornozelo dói.
Um tapa, um soco, um pontapé , doem.
Dói bater a cabeça na quina da mesa,
Dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim.
Mas o que mais dói é a saudade.
Saudade de um irmão que mora longe,
Saudade de uma cachoeira da infância,
Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais,
Saudade do pai que morreu, do amigo imaginário que nunca existiu,
Saudade de uma cidade,
Saudade da gente mesmo, que o tempo não perdoa.
Doem estas saudades todas.
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama.
Saudade da pele, do cheiro, dos beijos.
Saudade da presença, e até da ausência consentida.
Você podia ficar no quarto e ela na sala, sem se verem, mas sabiam-se lá.
Você podia ir para o dentista e ela pra faculdade, mas sabiam-se onde.
Você podia ficar o dia sem vê-la, ela sem vê-lo, mas sabiam-se amanhã.
Contudo, quando o amor de um acaba, ou torna-se menor,
Ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.
Saudade é basicamente não saber.
Não saber mais se ela continua fungando num ambiente frio.
Não saber se ele continua sem fazer a barba por causa daquela alergia.
Não saber se ela ainda usa aquela saia.
Não saber se ele foi à consulta com o dermatologista como prometeu.
Não saber se ela tem comido bem por causa daquela mania de estar sempre culpada,
Se ele tem assistido às aulas de inglês, se aprendeu a entrar na internet,
A encontrar a página do Diário Oficial, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros,
Se ele continua preferindo Malzebier, se ela continua detestando McDonalds,
Se ele continua amando, se ela continua a chorar até nas comédias.
Saudade é não saber mesmo!
Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos,
Não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento,
Não saber como frear as lágrimas diante de uma música,
Não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.
É não saber se ela está feliz, e ao mesmo tempo perguntar a todos os amigos por isso...
É não querer saber se ele está mais magro, se ela está mais bela.
Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim doer.
Saudade é isso que eu estive sentido enquanto escrevia
E o que você provavelmente estará sentindo depois que acabar de ler.”
(Martha Medeiros)

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Contato com a Au Pair da Host Family

Oi pessoal, tudo certinho na espera do visto e por enquanto procurei a melhor forma de descobrir o que acontece por lá. Pedi para que a Madeline, mãe das crianças, pedisse que a Au Pair que está com eles há 2 anos e que irei substituir, entrasse em contato comigo. E assim foi. Iraci, ou Ira como ela prefere, me escreveu ontem. Contou várias coisas sobre a família, as viagens, a cidade, os lugares e amei tudo tudo. Segundo ela a família é fantástica, as casas da cidade são enormes e muita coisa parece de filme.
Muito bom ter esse contato. É segurança pra essa etapa. Além de ter a visão da família pra esse comprometimento, Au Pair, ela pode me instruir em várias situações. Fiquei muito muito feliz. Até me adicionar no orkut ela adicionou. Muito bom. Saber quem é, o que vive, o que me espera. Avisei a Madeline sobre o contato e estamos todas em comunicação. Show de bola.

Aqui no Brasil a saudade já bate a saudade. Ontem encontros com os amigos no famoso Penha Lapa, caldo de feijão no friozinho e muita risada com a Danny morrendo de comer pimenta. Como diz o Beto a louca comeu pimenta como se fosse tomar Cataflan, de colher e algumas gotas.

Ontem também pude dirigir mais uma vez o Rocky, o carro da Nane. Tenho um pouco de medo de dirigir, mas isso está se quebrando, porque a louca da Nane me deixa dirigir o carro dela. Fui da faculdade deles (amigos) que fica na Brigadeiro Luiz Antonio, até o Penha que é em Moema e depois até a casa da Mary pra pegar os livros Crepúsculo e Lua Nova pro Nan e então me deixei em casa e devolvi o carro pra Nane levar a Dandan. Sei que a vontade era de me esganar quando esquecia a marcha, fazia piada, etc, mas ela me ama.. rsrs! No fim das contas tudo dá certo. E preciso de mais experiência, só isso. Tudo tem um tempo.
Amigos verdadeiros são esses. Conversam, dão risada, contam sobre o dia-a-dia, perguntam da viagem e ainda racham a conta.. rsrs! Amo muito.
Quando cheguei em casa a irmãe estava acordada ainda. Tão linda.
Toda sorridente por causa das nossas vendas extraordinárias (risadinha sarcástica) do Hopi Hari. Afff... Só pra rir. No dia anterior a presentiei com Palomas, uns pães de Páscoa que tem na Ofner e com um doce que nunca sei o nome da Ofner também. A intenção não era engordá-la, mas sim agradar de verdade. Ela merece muito cada dia.

Estou aguardando os documentos chegarem dos EUA e aí sim marcar a data no consulado.
A Cláudia, da agência, disse que talvez a viagem seja no dia 9 de agosto à noite, um domingão, mas isso só é confirmado quando recebo meu ticket de passagem, aí sim fica tudo certo, mas dia 10 tenho que estar em New York. Show!
Beijocas.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Deixar o trabalho no Brasil

Uma das partes difíceis de cumprir ao deixar o país, é deixar o trabalho que você gosta. Não sabia como ia fazer isso, afinal trabalho na Athos há 2 anos e 6 meses e adoro demais o que faço. A viagem também não estava tão confirmada quanto agora na sexta-feira santa, então não podia também correr um risco sem ter certeza.

Ontem, terça-feira, a dona da empresa me chamou com mais dois amigos de trabalho (sim, são amigos e não colegas como muitos dizem) e nos questionou sobre mudanças, comportamento, contestações, essas coisas. Conseguimos expor o que realmente está acontecendo e falamos sobre a minha situação também, que uma hora parece que fico, noutra parece que saio. Ela disse que não tem nada a ver, que fico na empresa, porque ela gosta do que faço e pra parar de ouvir o que os outros falam, afinal é ela a dona e é ela quem manda. Ao saber disso tudo, veio a pergunta "O que você pretende fazer Marcela?". Resumindo, não consegui me controlar e pedi pro Marcelo (um dos amigos) pra explicar a situação. Contamos sobre a viagem e ela teve a reação que eu juro não esperar. Ela podia me xingar, mandar à merda, falar tudo o que podia pra me esculhambar, mas ela foi surpreendente. Soltou um sorrisão e cara de espanto ao mesmo tempo e me deu os parabéns. Disse que vou amar o país, que é pra conhecer New York de todo jeito (que é só passar o túnel.. rs), contou várias coisas e vangloriou meu trabalho como nunca tinha visto antes. Fizemos piadinhas de abrir a Athos no exterior, de levar uma máquina pra imprimir cartão lá e ela já veio dizendo "É isso aí. Aprende o inglês direitinho e quando voltar você trabalha na Ouvidoria da Athos. Representante internacional". Essa foi a fala dela. Sim, ela já fez algumas promessas e não cumpriu, assim como eu também, então estamos quites e o comprometimento de amizade é ao menos uma das melhores coisas que alguém pode ter. "Pobre o que não tem amigos. Rico o que tem humildade."
O acordo então ficou de trabalhar normalmente até julho (um mês antes da viagem) daí ela me manda embora. Confesso que é uma atitude madura. Se sempre gostei daqui, gostei de todo mundo e gosto do que realmente faço, não vejo problema com essa vantagem. Zélia, se tudo correr dentro dos conformes só tenho a dizer "MUITO OBRIGADA".

Enfim, trabalho reconhecido nem que seja só com as palavras me deram um "up" e me deixou animada. Além da família torcendo por mim e os grandes amigos, minha vida profissional segue conclusiva e adequada pra situação. Perfeito.

Recebi a confirmação da instituição Au Pair in America ontem e da Cláudia da Experimento também. A viagem está marcada para o dia 10 de agosto de 2009. Feliz é pouco. Um pouco apreensiva ainda, carente, mas decidida e esperando mais do que nunca o bendito VISTO. (the damn VISA rs!)

Beijos.

domingo, 12 de abril de 2009

Host Family

Depois do último post meio deprê e tal, me desculpem, mas tem hora que a sensibilidade é terrível e só escrevendo consigo desabafar. Hoje estou muito mais feliz. Parece até que meu amor leu sobre "dedicação" e me surpreendeu passando algumas horas comigo. Minha família aos poucos sei que vão se adaptando e me amam demais. Isso é fato. Estou muito feliz, só sei disso.

Eu sou uma pessoa muito feliz e só tenho a agradecer sempre e sempre. Obrigada papai do céu, obrigada!

Agora falando da família americana...

Hoje troquei mais alguns e-mails e fotos com Madeline (bonita ela né?). Charley, a menina, me perguntou se sei pintar as unhas. Respondi dizendo que sei pintar e fazer até florzinhas.. rs!

Madeline é muito cuidadosa e zela pelas crianças. Percebi que gosta de falar bastante e dar explicações detalhadas e isso é muito bom pra mim. Espero de verdade ganhar uma amiga, afinal de contas é na casa dela que estarei morando.

É uma fase interessante essa. Você conhecer alguém que te espera em outro país. Me interessei muito por essa família, pela simpatia, como já disse antes, pelo carisma e pela forma de se expressar. Madeline me respondeu todos os e-mails, todas as perguntas e mandou várias fotos. E como já tinha conversado com a Ju, esse processo é muitíssimo importante. Ter contato é fundamental.

Madeline já comentou que Charley anda passeando com as minhas fotos que enviei pelo Au Pair in America, tanto que já me manda perguntas. Falei sobre as minhas tatuagens e agora meu peixe tem até dona.. rs! Charley disse que será Charley's fish (o peixe de Charley). Bonitinha né?

É importante que as crianças se apeguem antes mesmo de chegar, assim quando me esperarem no Aeroporto o susto não é tão grande assim.

É isso aí. Vamos que vamos e que venha o visto.


sexta-feira, 10 de abril de 2009

Caldwell - NJ (New Jersey) - Escolha da Família

Depois de receber o "no" de Michigan, achei que ia demorar horrores pra entrarem em contato comigo, e não demorou nem uma semana. Na quinta-feira recebi um e-mail de manhã de Madeline Rich, de Caldwell em New Jersey. Li sobre a família e adorei. Tinha fotos das crianças e dos pais também, o que me deixou feliz também. São bem simpáticos. De início tudo é lindo, então fomos trocando vários e-mails para esclarecer o máximo de dúvidas possíveis. São 2 crianças, uma de 5 e outra de 2 e meio. A mãe vende publicidade em internet (Ohh que triste não? Familiar?) e o pai tem sua empresa de suporte de informática. Madeline me deu detalhes sobre os benefícios de Au Pair, regras da casa, sobre as escolas e tudo mais. Gostei muito e em todos os e-mails ela foi muito transparente e fez perguntas imediatas, que talvez existam famílias que poderiam hesitar. Quando trocamos os vários e-mails, ela me pediu o número de telefone e horário pra ligar. Assim passei e ela me ligou à noite conforme combinado. Falamos por 20 minutos e nunca senti tanta segurança no meu inglês. Ela entendeu tudo o que conversamos e foi muito simpática a todo momento. Comentou que achava que queria o carro pra ir pra Califórnia (na outra ponta do mapa) rs! Eu disse que não, que era só por saber. Vou ter uma minivan pra usar. Uhuu.
Eles estão com uma Au Pair brasileira também e que volta em Agosto, sendo assim, em Agosto, mais precisamente 10 de agosto, devo estar nos EUA. Período do qual eu já tinha me programado.

E-mail pra confirmação:

"Last Question:
Do you still want to be our Au Pair? Because we would love you to join us!

Maddie Rich"

Tudo se encaixa: carro pra Au Pair, vantagens de fim de semana, Agosto, publicidade, informática, criança de 5 anos, foram os itens que me despertaram. Fora que a educação e sinceridade de Madeline me cativou bastante.
Ainda não caiu a ficha, mesmo ela dizendo que agora é só ela confirmar com a instituição, mas tudo está por um fio. Aquele carimbo no passaporte, o visto, será o último item a me preocupar pra me dar certeza absoluta de que vou deixar o país por no mínimo 1 ano, máximo 2. Que tudo dê certo!
É fim de semana de Páscoa. Optei por ficar sozinha, não me perguntem porquê, mas talvez meu anjinho tava dizendo que a confirmação da família iria aparecer. Estou com o coração apertado e muito feliz ao mesmo tempo. É mais um ponto conquistado.
Neste momento são 01:17h da manhã. Mais um dia sem sono (ontem tive insônia também), me sentindo angustiada e ao mesmo tempo felicíssima. Ando meio distante desse mundo. Essa viagem, querendo ou não mexe sim com o emocional e como já anda caindo a ficha que depende só de mim e de ninguém mais, já sei que vou ter que comprar um peixe pra colocar no meu quarto de Au Pair. Vou ter que ter alguém pra conversar nas madrugadas.
Me sinto sozinha nessa etapa, nessa busca sabe? Mas ao mesmo tempo sei que as pessoas, principalmente as que amo, vão sentir muito orgulho de mim.
Na verdade queria apenas um abraço agora e sinto que esse sentimento vai me devorar nessa viagem: A solidão. É uma escolha. A vida é feita de escolhas.
Vai ser muito dolorido, e sei disso, mas até agosto minha cabeça vai ter que estar muito bem organizada, e minha vida sobre os eixos. Caso contrário, o sonho pode virar pesadelo.

Minha família:
Vou sentir muita falta de todos daqui. Minha família é tudo pra mim nessa vida, e o que mais quero é que eles saibam que estou viajando pra conquistar um objetivo, e se possível arrumar uma forma melhor de ganhar dinheiro ou espaço no mercado de trabalho. Minha história é forte demais pra ser "mais uma" apenas. Sempre acreditei nisso.

Minha mãe, coisa mais linda do mundo inteiro, minha paixão, minha dor, meu afeto, meu tudo. Vai ser terrível ficar longe de ti. Sei que esses 700 km que temos de distância nos atrapalha um pouco, mas vou ficar um pouco mais longe e se me der vontade, não vou poder correr pro teu colo nos feriados. Que Deus te dê muita força pra continuar em frente. Eu te amo demais e quero sempre a senhora com o sorrisão estampado no rosto.

Nê, meu tesouro, minha mãe também. Carente, carinhosa, dedicada e companheira número 1 da minha mãe. Que Deus esteja do teu lado nas horas mais tristes e mais complicadas pra te colocar adiante e te mostrar que quem faz o nosso caminho somos nós mesmos. Ninguém pode te dar um empurrãozão, mas sim aquele empurrãozinho que nem sempre é suficiente. Eu te amo loira, e seja forte sempre. Reze bastante e cuide da mamãe. Ela precisa de você mais do que qualquer outra pessoa nessa vida. Trilhe o seu caminho e continue linda e loira como você é.

Irmãe, mãe também. Sei que vai sentir minha falta, muita falta, mesmo que eu não lave minha roupa, não tire o lixo do banheiro, não pegue o cocô do Átila, não ligue pra dizer que não volto pra casa, que todo fim de semana invente algo pra fazer, mas você me ama absurdamente e isso tá estampado na sua cara. Você diz que não vou conseguir ir pra lá, mas eu vou sim, e vou te mostrar o quanto sua filha pode te dar orgulho. Tenho que continuar a trilhar meu caminho e esta é mais uma etapa. Talvez demore um ano, talvez 2 (máximo 2) mas o tempo passa e a gente se acostuma com a saudade. Deixe todas as coisas ruins de lado e continue persistente e perseverante como sempre. Lute pelos teus objetivos por mais desumanos que existam pra te derrubar. Você sempre vence. Se sentir vontade de conversar comigo, escreva um e-mail bem grandão pra desabafar. Isso vai te ajudar. Escrever sempre me ajudou a desabafar. Eu te amo muito e só tenho a agradecer sempre nessa vida. Pelas oportunidades, pelo amor, pela preocupação e pelo meu caráter de hoje. Ah e também por me incentivar a começar o curso de inglês enquanto adolescente. Ontem descobri que realmente eu frequentei o curso e sei direitinho... rs!

Marco Antonio, meu pai e meu amigo. Nunca vi alguém que nunca perdeu a hora pra ir trabalhar durante 20 e poucos anos. É responsável, carente que eu sei, carinhoso também e super caseiro. Ama a família mais do que tudo que se pode imaginar e eu o amo muito muito muito muito. Além das caronas de toda manhã, devo agradecer por Deus ter me dado um pai como você, que ouve mesmo que não comente nada, mas ouve de coração e por ter sido sempre tão compreensivo e amoroso. Eu te amo viu? E pode deixar que vou te mandar algo bem legal de lá tá? Daí você mostra pra galera da firma.

Nan, cabeçudo que não gosta de estudar. Sei que tenho muitas coisas que você não deve ter de exemplo garotinho, mas uma coisa você devia ter seguido: força de vontade. Sempre corri atrás do que quero e não desisto enquanto não tiver sucesso. E não vem me dizer "ah, pq não tem carro, ap?". Carro é uma família e custa caro, fora que tinha medo de dirigir e ap não me interessava, porque sempre amei morar com a família. Enfim, só quero te dizer que se você não se esforçar pra ser um grande homem, eu te mando uma bomba iraquiana pra você deixar de ser besta. Eu amo você cobertozinho lindo e é pra cuidar direitinho dos pais enquanto eu estiver fora tá ouvindo? Ou melhor, lendo? Independente das broncas que levar, eles te amam mais do que tudo nessa vida. Acredite.

Meu amor:
Hoje parei pra pensar no amor que vivo. Me sinto estranha e sem conforto. Existe apenas o amor, aquilo que nos empurra, que você ama e não sabe porquê. Na verdade ninguém nunca sabe o porquê de amar quem se ama não é mesmo? Parece que anestesiei e comecei a viver só pra pessoa sabe? Eu não sei. Algo me diz que a cada dia tem algo escondido, tem telefonemas que não são comentados, e-mails enviados "por trás" e quando chamo pra uma conversa franca, olhares são desviados, a boca seca, o assunto muda de imediato. Tem segredos no ar sabe? Me sinto fraca de tanto persistir em algumas coisas, mas "de que vale o amarelo se não fosse o vermelho" não é?
Não sei o que vou fazer sem você lá fora, mas não vou te tirar nunca daqui de dentro, nunca. Nunca senti tanta vontade de ter alguém do meu lado pra sempre sempre, me mimando, me ligando, cuidando de mim como você costumava fazer (já tem um tempo que isso inverteu rs). Não me incomodo de comprar chocolate pra você.
Desejo que a minha fase seja de sucesso e a sua ainda mais. Que além de dinheiro você conquiste sua liberdade, a sua forma real de ser feliz e viver sua vida sem limites, sem normas, apenas dentro dos padrões, e de forma sincera. Eu amo você.

Isso não é uma despedida nem nada do tipo, mas o sentimento de hoje "família confirmada" me deixou emotiva sim e ficar sozinha ajudou um pouco. Estou muito feliz por ter essa etapa concluída e que agora venha o visto. O último passo pra uma grande conquista.

Beijos.

M's, Preta, Peixinho.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Chelsea, MI - Negado

Depois de receber as duas opções, Vermont ou Michigan, comecei a estudar ambas e tentar encontrar a melhor família. Busquei informações dos dois lugares também pra ver o que era mais vantajoso e neste período continuei em contato com a família de Michigan pra tirar algumas dúvidas e não deixar nada a desejar pra eles também. Hoje de manhã quando resolvi mandar um e-mail questionando mais alguns itens sobre a família de Michigan, veio a notícia: Negado. Sendo assim, tenho que aguardar outra família entrar em contato. Seja o que Deus quiser. Acho que tudo deve ser como tem que ser. O coração aperta, a vontade murcha, mas o objetivo é forte, e continua. Que venha a próxima família então. Beijos.

Segue o e-mail de Michigan:

"Hi Marcela,

Good morning! You have some good questions and I think you are correct to be careful with your decision. I have to tell you that earlier this morning we matched with another au pair whom we interviewed last week. I think your application was terrific, and you have some great experiences that a lot of American families will like. I think you will find a good family to live with!

Good luck with your year in America!

Emily"

Traduzindo:

"Oi Marcela,

Bom dia! Você tem boas perguntas e acho que você tem que ser cuidadosa sim com sua decisão. Tenho que te dizer que nessa manhã nós fechamos com uma outra Au Pair, a qual nós entrevistamos na semana passada. Acho que seu histórico é formidável, e você tem grandes experiências que as famílias americadas irão gostar. Acho que você encontrará uma boa família pra morar.

Boa sorte com o seu ano na América!

Emily."

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Vermont ou Michigan?

Pois é, achei que ia demorar uma eternidade para entrarem em contato comigo, mas me enganei.
Ontem, domingo, recebi e-mails de duas famílias, uma de Norwish-VT, e outra de Chelsea-MI. Tanto Vermont quanto Michigan, são estados interessantes, mas a família de Michigan oferece muito mais vantagens para uma Au Pair. Tudo bem que Vermont é o nome do meu bar predileto, mas nem por isso preciso escolher logo de cara né? rs.
A família de Michigan oferece 4 finais de semana livres (o normal é ter apenas 1), carro para Au Pair poder viajar e utilizar com as crianças (o que é bem difícil de se conseguir), apto em Chicago pra passar o fim de semana, e é próximo de Ann Arbor, cidade da Universidade de Michigan, o que facilita se escolher o curso lá. É uma das melhores do país.
Enfim, a fase está mais turbulenta por ter que tomar uma decisão que será única e inalterável, então tenho que pensar bem e escolher.
As crianças de Chelsea-MI são dois japonezinhos a coisa mais fofa dessa vida. Se fechar com essa família, publico a foto pra vocês conhecerem. A mãe das crianças é advogada e o pai professor de religião. Bacana né? Emily, a mãe das crianças já me ligou e conversou bastante no tel. Tirou dúvidas tanto minhas quanto as dela. Já sei que lá é muito, muito frio e que terei que estar pronta pra isso. Ela disse que uma Au Pair já desistiu por causa do frio. Não aguentou, coitada.
Estou feliz por aparecer essa família que parece ser bem bacana e que se preocupa com o que a Au Pair precisa ter, e realmente se preocupar ao ir morar lá. Emily foi bem educada e eu entendi o inglês... rsrs! Conseguimos nos comunicar. É claro que já teve situações de sumir palavra e ter aquela risadinha, mas foi tudo bem. Senti segurança.
Não serei a primeira Au Pair da família, e isso já ajuda, pois eles já sabem como devem se comportar e o que a Au Pair realmente precisa saber ao ir pra lá. A Au Pair deles acaba em Agosto, ou seja, no período que coincide com o que quero viajar. Fora que Michigan fica na divisa com o Canadá, acredita? Sempre foi meu sonho ir pra lá, então se conseguir visitar EUA e Canadá na mesma viagem, me sentirei muito realizada. Já perguntei na agência e posso ir pro Canadá sem problemas, pois é visto de Au Pair, e estarei nos EUA.

Sei que essa decisão depende nada mais nada menos do que a minha consciência, da minha segurança e da transparência que a família puder me passar. Quero me sentir bem tomando essa decisão, e até agora estou bem sim. Mesmo participando dessa fase da minha vida praticamente sozinha, estou encarando as coisas com maturidade (pelo menos o que tenho que decidir sim). A sensibilidade envolve às vezes quando penso na distância e no quanto deixam ou não de me apoiar aqui no Brasil, mas a vida é assim. Se a vida é sua, que você cuide como acha melhor.

Vamos ver... que seja o que tem que ser.