Um blog sobre Estados Unidos, Brasil e pensamentos aleatórios. Have fun!

Who read my blog until now?

United States, Brazil, Portugal, United Kingdom, Germany, France, Japan, Ireland, Canada, Netherlands, Turkey and Uruguay.
Aperte Ctrl + para aumentar o texto e Ctrl - para diminuí-lo.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

São Paulo: Tem tanta coisa que falta, que ainda assim falta

São Paulo se tornou uma cidade cara, corrupta, sem-vergonha e sem caráter. Hoje você anda pelas ruas e é muito difícil se sentir seguro. A falta de segurança aterroriza todas as classes sociais. Pobre rouba, mas rico também. Não existe um padrão pra colocar em pauta e dizer que existe gente assim aqui e pronto. São Paulo é uma mistura de tudo com coisa nenhuma, um pouco de muito, um mito, uma lenda. Escolas de todos os tipos, gente de todas as raças, o valor é alto, o custo de vida assombra. Quanto você paga pra viver em São Paulo? Muito? E quando você ganha? Faz sentido pra você? O que antes era barato, hoje está bem caro, absurdamente caro. Você quer ter carro, a gasolina não colabora, o IPVA também  não. O aluguel é alto, a compra nem se fala. O que facilita, complica. Se você compra, mas parcela, te faz escravo de uma série de carnês duradouros e vitalícios. Dura a sua vida, custa a sua vida. Viver em São Paulo não é mais uma questão de prazer, nem de gosto. Quem mora em São Paulo banca o custo de vida que quer, porque tem o emprego que quer, a casa que quer. Aqui você consegue ter acesso aos mais diferentes tipos de imóveis, de carros, mas até quando vamos ser dependentes da falta de tudo que realmente falta nessa cidade? Se pagamos pra morar num lugar "top", cultural, diversificado, por que não ganhamos o equivalente a isso? Por que não temos a segurança por todos os impostos pagos para o governo? Infelizmente somos escravos dos impostos. Você sabia que 80% dos impostos do cigarro vão para o governo? Você sabia que pelo suco de laranja que você paga, a empresa não gastou nem metade daquilo para oferecê-lo? Você já se deu conta de que os R$3,00 reais de condução que você paga toda vez pra ir e vir não te permite conforto algum no transporte público? Já parou pra pensar que já existiu época que as pessoas compravam hot-dog com passe? Já parou pra pensar que nos tornamos dependentes do dinheiro e que mesmo trabalhando, estamos apenas comendo, bebendo, pagando contas e o dinheiro some? O fim do mês chega e seu dinheiro está onde? Você trabalha para os seus benefícios, seus hobbies, claro. Mas até quando o governo, as empresas receberão nosso dinheiro e nos oferecerão mais discernimento, mais educação, mais moral, mais caráter? A educação se tornou algo medíocre e nem sequer esperar alguém sair do metrô, é algo natural. O empurra-empurra, o boca-a-boca, os palavrões, a falta de respeito ainda habita muitos corações e infelizmente, muitos cérebros. Você paga, você investe e o que você ganha em troca? Você ganha limites. Sim, viver em São Paulo é ter uma vida limitada, destinada ao acaso e ao desfavorecimento. Você tem orgulho de morar em São Paulo? Sim, eu tenho, mas sabe o que me faz desencantar da cidade da garoa? Tudo o que falta nessa cidade. A falta de comprometimento, de segurança, de educação, de gente que reeduca o próximo, de gente que vive com um sorriso no rosto, a falta de gente que trabalha e viaja feliz, a falta de gente que não conta moeda pra comprar pão. Infelizmente São Paulo não tem um padrão de vida satisfatório, por mais rico e organizado que você seja. Se aquele menino frágil não te rouba no farol, relaxa... o cara de terno lá em cima faz isso, e faz em dobro.

Beijos.

Marcela.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Projeto Cooperifa - Sérgio Vaz



Conheci o poeta Sérgio Vaz através do projeto do Teatro Mágico antes de viajar para os Estados Unidos. Com o texto "Os miseráveis", ele conquistou boa parte da galera que assistia o show, certeza. Ele é fundador do projeto Cooperifa, que reúne um grupo de pessoas toda quarta-feira no bar do Zé Batidão no bairro Chácara Santana, para participar de um Sarau. Um certo número de pessoas compartilha suas poesias e expressa o que achar necessário. É uma troca de conhecimento, de cultura, literatura e poesia na periferia. O projeto já existe há 10 anos e só vem crescendo com o bem que faz para a comunidade. Sérgio Vaz é exemplo de paz e vocabulário.

Quando estava nos Estados Unidos nos falamos pelo twitter, mandei textos meus pra ele ler. Ontem tive a honra de participar do Sarau com a companhia de uma amiga de muitos anos, a Camila de Jesus, e pude também conversar com o poeta sobre nosso papo quando estava morando fora. Um prazer, uma honra e muita cultura. Se você gosta de poesia, não pode deixar de visitar esse projeto e ajudar a proliferar o conhecimento. São Paulo agradece.