Um blog sobre Estados Unidos, Brasil e pensamentos aleatórios. Have fun!

Who read my blog until now?

United States, Brazil, Portugal, United Kingdom, Germany, France, Japan, Ireland, Canada, Netherlands, Turkey and Uruguay.
Aperte Ctrl + para aumentar o texto e Ctrl - para diminuí-lo.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Publicação no Diário de SP - 8


Segue a publicação da semana no Diário de São Paulo, "A cadeia deveria produzir mel". 

Quem quiser conferir pode acessar o link do jornal: 


Ou então é só salvar o endereço do blog e voltar sempre. 

Segue o texto publicado: 

A cadeia deveria produzir mel

Alguém já parou pra pensar no quanto as abelhas trabalham? E quanto tempo elas demoram para produzir o mel? 


As abelhas levam um ano pra produzir cinco gramas de mel. 
Trabalho demorado e satisfatório. Hora de aplicar isso na vida real. 


Numa viagem de final de semana, conversando com amigas minhas, surgiu a idéia de escrever o texto comparando os presidiários com as abelhas. "Uma abelha visita dez flores por minuto em busca de pólen e do néctar. Ela faz, em média, quarenta voos diários, tocando em 40 mil flores. Com a língua, as abelhas recolhem o néctar do fundo de cada flor e guardam-no numa bolsa localizada na garganta. Depois voltam à colmeia e o néctar vai passando de abelha em abelha. Desse modo a água que ele contém se evapora, ele engrossa e se transforma em mel." (Fonte: Wikipedia) 

Não é de hoje que o sistema penitenciário de São Paulo, que seja, está uma desorganização. O preso entra revoltado e sai ainda pior. Tanto tempo esses caras ficam sem fazer nada, só cultivando a raiva, o rancor, a fúria. Por que não colocá-los para trabalhar em algo demorado e que no final das contas lhe dê reconhecimento e satisfação? Não é uma idéia que funcionará do dia pra noite, mas não deve ser descartada. 


Suponha que são 45 mil presos num mesmo lugar. Dividimos esses presos em equipes, cada equipe fica responsável por uma função. Trabalharemos com a produção de camisetas nesse exemplo: Uma equipe molda, outra corta, outra costura, outra estampa e a outra embala. Querendo ou não, é uma atividade e a cada camiseta produzida, o preso pode ganhar R$ 0,01. Um valor miserável, mas de centavo em centavo é lucro pra quem só acumulava solidão e desespero. 


Não se prenda aos valores nesse texto. Se prenda na idéia. Os presos precisam aprender a produzir mel. Como todo mundo sabe "cabeça vazia é a oficina do Diabo" e isso é verdade absoluta perto dos resultados que temos hoje em dia. 


Dentro da cadeia acontece barbaridades e quando o sujeito é solto, ao invés de cultivar coisas boas, não! Ele se prende à revolta e ao pior dos males. Parece simples, parece fácil, mas é óbvio que não é. Sempre acreditei em organizações sociais, e acredito que de mãos dadas conseguimos resultados importantes. A cadeia é um mantro de gente sofrida e sem esperança. A única esperança é sair de lá. Se já aconteceu algo ruim com o cidadão, por que não tratá-lo de forma diferente? Os presidiários precisam de carreira profissional, e não da carreira de cocaína. Utilizar o ócio e fazer o bem. Não acho que seja impossível o sistema penitenciário ser alterado e melhorado. Junte essa multidão de abelhas, dê flores e você vai ver o quão melhor será para uma cidade, um estado, um país talvez.

No momento atual vejo a cadeia criando um bando de lobos loucos, escuros e sem futuro. Dormem amontoados, se envergonham de pouco e se orgulham de coisas obscuras. É um trabalho árduo, mas aplicar ações educacionais e profissionais no próprio presídio é dar um passo e tanto à frente. 

Esse texto não é pra você leitor, a idéia é. Passe adiante. A ação cabe aos governantes, pois infelizmente só depende deles. O Brasil tem projetos sociais bem bacanas, e até fiz parte de um deles, o "Programa Escola da Família", criado pelo Gabriel Chalita enquanto Secretário da Educação. Foram 4 anos trabalhando com crianças carentes aos finais de semana, tirando as crianças da rua e aplicando atividades nas escolas públicas. Era uma forma de produzir mel, de adoçar a vida daqueles meninos e meninas. Em troca, o governo pagava minha faculdade. 


"Bandido" tem que ser eliminado do dicionário da Língua Portuguesa. E essa ação vai começar quando? Você que pensa que todo mundo tem que morrer, porque cometeu um crime, porque fez algo e foi pra cadeia, aí é que você se engana. Você paga enquanto está vivo, e deve pagar aos poucos. Quem errou, precisa ser punido. Punido é pouco, precisa ser reeducado. Quanto tempo dura a pena pra continuarmos a sentir pena? Afinal, em 5, 10 ou 20 anos de cadeia é possível aprender algo, não é? Tem gente que aprende em 4 de faculdade, 1 de cursinho ou 6 meses de profissionalizante. 


Existe uma chance sim, e ela não deve ser descartada. Uma vida mais adocicada é, com certeza, uma vida mais saborosa. 


Formada em Publicidade e Propaganda, moro nos Estados Unidos como Au Pair há um ano e cinco meses. Se quiser acompanhar a minha experiência nos Estados Unidos, basta acessar meu blog: http://umchocolateaupair.blogspot.com ou me seguir no Twitter em www.twitter.com/umchocolate 

Marcela Rios

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!

M's